Home
Biblioteca
Links  Panfletos Novidades
Especiais

 

Conselho de Crédito e Troca

 

No Conselho de Crédito e Troca temos a soma cumulativa de todas as funções e inter relações económicas. Sob a nova economia, na qual o crédito vai ser uma função social útil, e não uma forma de especulação privada ou de usura, este conselho vai ter uma missão importante a desempenhar, como um meio vital para se atingirem a prosperidade e o progresso. O crédito vai ter por base as possibilidades económicas da sociedade, não os juros ou o lucro. A acção deste conselho vai basear-se em estatísticas exactas da produção e do consumo. Os seus funcionários serão escolhidos de entre os das actuais instituições bancárias.

A troca de produtos será feita sob o controlo monetário. Com base nas estatísticas, o conselho de crédito e troca tratará de regular a distribuição dos produtos, transmitir ordens e, basicamente, desempenhar a função que é hoje competência dos estabelecimentos comerciais. O Conselho não terá que se preocupar com a distribuição dos produtos, uma vez que os conselhos de indústria estão organizados de forma adequada para se ocuparem de todas as operações, desde a produção das matérias-primas até á entrega do produto fabricado ao consumidor. A missão do conselho será desempenhar o papel de centro de consumo e de fornecimento.

Se for necessário, como provavelmente vai ser, criar um símbolo de troca para responder ás necessidades da circulação e troca de produtos, o conselho de crédito e troca tratará de criar uma unidade de troca com este propósito, exclusivamente para facilitar as trocas, não para servir como poder monetário.

Este conselho terá uma organização semelhante á dos outros, mas irá funcionar como um elo de ligação entre todos os outros conselhos estabelecendo por esse meio uma solidariedade perfeita na nova economia. Os conselhos locais de economia serão parte do Conselho de Crédito e Troca. Em conjunto com todos os outros conselhos regionais, será formado o Conselho Nacional de Crédito e Troca, que irá regular, conjuntamente com o Conselho federal de Economia, o comércio exterior e as relações financeiras internacionais.

Por alguns anos, não vamos dispor de abundância e, em consequência disso, a produção e a distribuição têm que ser alvo de um controlo rigoroso. O individualismo, tal como é praticado no regime capitalista, irá levar a abusos e desigualdades de consumo, assim como á insegurança na produção. É por isso que a condição essencial da nova economia é o seu carácter social, cuja função especial consiste em assegurar, pelo menos, um padrão mínimo de existência á população. Quando a produção for mais abundante, quando o progresso técnico tiver tornado possível um padrão de vida superior, então trataremos de satisfazer os desejos pessoais, depois de já termos obtido o mínimo indispensável á existência de cada um.

O Conselho de Crédito e Troca será como que uma espécie de termómetro da produção e das necessidades do país. As associações de produtores vão saber através dele que bens devem produzir e onde devem ser entregues. Os gabinetes de estatística que, sob o presente sistema social, só têm uma função decorativa, vão constituir o eixo central do Conselho de Crédito e Troca, disponibilizando todos os dados necessários á administração competente da nova estrutura económica.

 


Anterior