Home
Biblioteca
Links  Panfletos Novidades
Especiais

 

Conselho das Indústrias de Vestuário

 

Em 1922, as cifras oficiais da produção espanhola foram as seguintes:

Minas: 1.070.237.191 Pesetas
Agricultura: 9.201.300.131 Pesetas
Industria: 6.500.000.000 de Pesetas

Na indústria, o primeiro lugar é ocupado pela indústria têxtil, que rende por ano 2.150.000.000 de pesetas. Estão empregues nesta indústria um total de 300.000 trabalhadores. Existem um total de 2.300.000 fusos de algodão em toda a Espanha, 2.000.000 dos quais na Catalunha. A indústria do algodão emprega 170.000 trabalhadores, consumindo 430.000 fardos de algodão. A indústria da lã emprega na Catalunha 244.624 fusos, 6.270 teares, e 30.200 trabalhadores, cuja produção total atinge os dez milhões de quilos de lã por ano.

Na Catalunha, existem cidades inteiras dedicadas à indústria têxtil, tais como Sabadell que, em 1917, contou com 285 fábricas de lã, 292 fábricas de algodão, 11.693 trabalhadores, 188.400 fusos, e 4.100 teares mecânicos, que consumiam uma potência total de 16.000 cavalos-vapor. Foram feitas muitas melhorias desde então, mas ainda estão em uso máquinas construídas há 50 anos atrás.

Como o nosso estudo sugere, a indústria têxtil está largamente confinada à Catalunha, onde as principais fábricas de sedas, algodões, artigos de lã e feltros, se desenvolvem a um ritmo sempre crescente. Em relação á seda, existiam, em 1920, 20 fábricas a funcionar, fornecendo mil toneladas de casulos. Espalhadas pelas diversas províncias do país, existiam um total de trinta escolas de sericultura. A indústria têxtil espanhola é perfeitamente capaz de suprir a todas as necessidades da população. Temos falta de matérias-primas, principalmente de algodão e de lã, mas o algodão pode ser cultivado na península, assim como em Marrocos, nas quantidades necessárias.

A organização dos conselhos de fábrica, dos sindicatos e dos conselhos de indústria, segue o procedimento descrito nos capítulos anteriores. Os capitalistas, enquanto tal, serão eliminados, e só lhes será dado um trabalho na indústria caso tenham competências técnicas para tal. Como existem muitos estabelecimentos de pequenas dimensões, teremos provavelmente que concentrar a produção, unindo as fábricas e oficinas mais pequenas. Isto será fácil de fazer, uma vez que já não irá existir qualquer competição entre os diferentes estabelecimentos.

As escolas profissionais, os institutos de pesquisa, os gabinetes de estatística, e os centros de informação, serão partes importantes da estrutura da indústria têxtil. A coordenação da indústria ficará a cargo dos conselhos locais, regionais e nacionais de Economia.

Sob o capitalismo, a indústria têxtil atravessa uma crise sem fim. O número de desempregados aumenta enquanto que a população continua vestida com farrapos. Na nova economia, desde que se possam obter matérias-primas em quantidade suficiente, as fábricas não vão parar até que todas as necessidades da população tenham sido completamente satisfeitas.

As indústrias têxteis também vão incluir as indústrias relacionadas dos feltros, chapéus, sapatos, etc. O grupo dos têxteis irá abranger o maior número de trabalhadores e, devido á sua importância, será um bastião da nova estrutura económica e social.

 


Anterior