Home Biblioteca Actividades Novidades Links Especiais

   

A Escola de Hoje

Círculo de Estudantes Anarquistas H

Alguns blocos cinzentos, grades, arame farpado, vigias, guardas, talvez até umas câmaras para controlar @s detid@s. Não, não é um campo de concentração. É algo a que chamam "escola" e talvez pela descrição até se pareça com a tua. As semelhanças são formidáveis, não achas?

É este o cenário ideal para a morte do indivíduo. Deixa que te expliquemos. É que afinal, a escola talvez não seja aquilo que nos dizem ser. Para começar, não estás ali para aprender, mas para seres ensinad@. A diferença é que, enquanto aprender depende de ti, do encontro contigo mesm@, com aquilo que queres e de que gostas, ser ensinad@ implica uma lavagem cerebral a longo prazo, implica que engulas tudo aquilo que querem que assimiles. Sobretudo, deves assimilar o mesmo que os teus colegas, desta forma está preparado o caminho para a uniformização, ou seja para o estrangulamento da tua personalidade. Mas como é que isto se processa? Prémio e castigo, a lógica que se aplica à domesticação de animais é a mesma pela qual a escola te "educa". Mas então, a escola educa-te ou domestica-te? Não tens de pensar muito para obteres a resposta para esta pergunta.

Como um animal selvagem és arrancad@ à vida, colocad@ numa jaula soturna a que, talvez por ironia, insistem em chamar "escola". Aqui, farão de ti um "homem" ou uma "mulher", conforme o caso. Rapidamente aprendes uns truques, decoras umas fórmulas que repetirás até à exaustão sempre que to pedirem, além disso não precisas de questionar pois o que te ensinam é sempre verdade e é para o teu bem. Se assim continuares, passiv@ e obediente, então muito bem: és um(a) alun@ de sucesso e, sobretudo, és melhor que @s outr@s, o que te vai ser bastante útil na tua carreira profissional. Prometem-te então um lugar de destaque no circo, perdão, no mercado de trabalho.

Como animal em fase de domesticação, ou frango num aviário, começas a agir por estímulos e, como na caserna ou na fábrica, regulas a tua vida por toques de entrada e de saída: 50 minutos de lavagem cerebral, logo seguidos de um breve intervalo para satisfazeres as tuas necessidades básicas, logo outros 50 minutos, etc. Assim gira a tua existência, que começa então a ser dominada por pouco mais do que por um enorme tédio.

Ensinam-te que não deves questionar, que não deves ser inteligente, que não deves amar ou sonhar, ensinam-te na verdade a prática da não-vida, que mais senão isso? Não deves viver, deves obedecer! Afinal, qual é a função do sistema de ensino na sociedade actual senão fabricar (sim, a escola é uma fábrica!) profissionais qualificad@s e conformad@s com o seu humilde papel de satisfazer as necessidades do mercado de trabalho?

Uma escola livre

Sabes, nós pensamos que isto poderia ser muito diferente. Queremos uma escola livre, que se construa a partir dos sonhos de todos e todas. Queremos uma escola que renuncie à hierarquia, em que alun@s e professor@s se tratem por igual, pois só assim poderá haver diálogo e respeito. Queremos uma escola que forme homens e mulheres livres, seres humanos responsáveis pelos seus actos. Queremos uma escola que não negue o prazer, mas que leve @s alun@s a aproveitar as potencialidades do seu corpo e espírito. Não queremos que a nossa educação seja condicionada pelo mercado de trabalho, pelo cumprimento da lei ou pelo interesse nacional. Tudo isto são, para nós, meras abstracções que pouco interesse terão para mulheres e homens que se querem livres. A liberdade não é só uma palavra bonita que vem no dicionário. É algo para viver, sentir, amar e sonhar! @s que o negam são noss@s inimig@s, pois não é certamente o nosso bem que querem.

Luta connosco, pois lutar é viver!
Sem líderes, nem deuses, nem partidos, nem ministros da educação!
O nosso futuro será construído por nós, não pel@s outr@s!

Círculo de Estudantes Anarquistas-AIT